Dicas para um empreendedor para sobreviver aos primeiros 12 meses de uma micro empresa

/, Nuno Seleiro/Dicas para um empreendedor para sobreviver aos primeiros 12 meses de uma micro empresa

Car@ aqui ficam as dicas para um empreendedor, de outro empreendedor, de uma micro empresa.

Bem vindo a uma das profissões mais solitárias que existe. Os pontos que partilho podem ser fruto de erros, de fracassos e alguns sucessos. Não há fórmulas certas mas há caminhos.

Quase 50% dos negócios cai em 24 meses e a maior parte desta percentagem é atingida no primeiro ano.

Seja pela criação de auto emprego após um despedimento, a vontade de ter algo seu, uma nova ideia que surgiu, são muitos os motivos que levam o empreendedor… a empreender.

O primeiro ano é assustador: entre a euforia das imagens edílicas de espaços de trabalho partilhados com sorrisos e cumprimento afáveis das redes sociais, à corrente de informação (e desinformação) que temos ao dispor, tudo parece mexer. É aqui que tudo se define: continuar ou morrer.

Eu perdi muito tempo no primeiro ano, (levo 7). Na altura o empreendorismo surgia quase sempre de efeitos forçados por saídas de empresas, e havia muito menos conteúdo do que hoje.

Estas dicas que lhe deixo não são imutáveis, nem escritas em pedra. Procurei ser o mais adaptativo possível a vários negócios, e fugir (com todo o respeito) às startups tecnológicas, que já merecem muita atenção dos media.

Estas são dicas para micro negócios de serviços ou locais. Os que representam o grosso da economia, longe dos mega casos de sucesso e dos unicórnios.

Então vamos às dicas para um empreendedor:

1 – Estudar

Lynda.com , udemy.com e outras plataformas oferecem cursos muitas vezes a partir de 10€ (ou gratuitos em alguns casos) que pode fazer sem do sair do seu espaço: comunicação, comportamento do consumidor, posicionamento online e talvez algo da sua área vão certamente ajudar. Se abdicar de estudar agora, dificilmente o fará quando estiver tudo a correr bem…ou mal.

Não se iluda pelos milhões de fãs, pelos milhares de visitas, pois muitas vezes os mercados são diferentes do nosso. Mas algumas mensagens relevantes estão lá.

2- Crie uma identidade cuidada

oseunegocio@gmail.com ou @hotmail.com é gratuito mas não transmite cuidado e identidade. A partir de 5€ mês pode ter os serviços profissionais da google e por 30€/ano pode ter domínio e alojamento: o seu.

Invista na sua identidade da marca, com um designer bom (é dos poucos investimentos de centenas de euros que lhe sugiro)

Quer fazer um template top de apresnetação: o envato.com tem milhares a partir de 11€ e muito bons, melhores do que qualquer comum mortal possa pensar.

Quer utilizar bancos de imagens gratuitos e legais? Fica aqui um link https://blog.hootsuite.com/20-free-stock-photo-sites-social-media-images/

Quer editar imagens para redes sociais ou flyers? Canva.com, gratuito também.

3 – Prepara-se para ter resultados negativos nos primeiros 6 meses… ou 12 meses.

Esta dói. Na folha de cálculo colocamos a receita a partir do primeiro dia mas o mundo tende a não concordar connosco. Dependendo do negócio, pode demorar largos meses até atingir o ponto de equilibrio e até aí foram sempre resultados negativos. Preveja com cautela. Prepare-se para a sazonalidade: o Natal pode ser uma mina para uns e um deserto para outros.

Se os objectivos semanais causam pressão, coloque mensais ou mesmo trimestrais.

Se puder evite empréstimos e fundos. Como dizia o avô de um amigo meu “o juro trabalha de noite e dia”.

4 – Não tenha (demasiada) pressa de crescer

Em economia há o crescimento e o desenvolvimento sustentável. Quando começa a ter boas receitas e margens, tenha cuidado a desatar a contratar e a aumentar a capacidade. Normalmente esta evolução é por degraus de escada, e a receita normalmente não tem este tipo de evolução.

Sei que há um momento onde quererá deixar de fazer aquelas coisas chatas, mas pagar a todos e não receber é muito frustrante.

5 – Falar em benefícios em vez de características

Mesmo um prego ou um parafuso oferecem benefícios. Não comecemos o discurso com especificações técnicas, mas sim com o efeito que o seu serviço/produto causa ao cliente: paz de espírito, tempo livre, confiança, conforto, “transportam” o seu cliente para outro nível.

“VPN HTTPS SSL” pode ser cara a alguns clientes mas talvez não à maioria.

Ficamos por aqui nas dicas para um empreendedor? Não.

6 – Delegue tarefas especializadas como a contabilidade

Passar dias a fio a conferir facturas, perder tempo a perceber o contexto fiscal, tira-lhe o seu recurso mais precioso, o tempo, para focar no seu negócio e pode acarretar riscos. Há tarefas que vale a pena subcontratar e esta é uma delas.

7 – Lembra-se do restaurante que tem como especialidades: comida japonesa, chinesa e cozido à portuguesa? Foque.

Na folha de cálculo (sempre ela) fica bem ter várias hipotéticas fontes de receita diferentes: talvez representar uma marca, vender, serviços financeiros…

“Quem é príncipe toda a vida, nunca chega a rei”

Os especialistas ganham mais. Porque as pessoas os escolhem como tal, porque têm uma linguagem próxima, e assim se foge do preço.

8 – Até que enfim o Marketing…

Se tiver a porta da sua loja fechada, não atender telefones ou emails, tem negócio?

“Não tenho tempo para o Marketing” é semelhante a dizer eu tenho o que tenho, quem quer procure e compre. Só que hoje em dia a realidade é mais complexa.

A quem quer vender? Segmento (toda a gente não é opção válida)

Como se vai dar a conhecer?

Como vai comunicar?

Que tempo e recursos vai necessitar?

Como vai ser o processo de compra? E de pós-venda

Onde e quando vai fazer publicidade? E com que fim?

…são apenas algumas breves questões.

“Isso é só Marketing” pode ser a diferença entre prosperar…e morrer.

9 – Não tenha medo de medir e mudar: a margem manda

Há serviços que adoramos, demoram tempo e não dão dinheiro, e há outros que não gostamos tanto mas dão uma pipa de massa.

(outra vez a folha de cálculo?!) veja as receitas e os custos por produto, alocando os custos fixos pela capacidade produtiva e por favor não considere o seu valor por hora igual a 0. Está a dar cabo de si próprio.

Aponte à rentabilidade, o prazer vem depois. E a rentabilidade dá muito prazer.

10 – Falhar não é morrer e mantenha o equilíbrio

Dificilmente vai acertar à primeira: preço, serviço, descrição, público. Falhar faz parte. O CR7 não acerta todos os remates, mas treina como ninguém.

Não se esqueça da sua rede de suporte: família e amigos. Eles darão energia nos dias cinzentos.

Até (muito) breve e espero que lhe corra tudo pelo melhor.

Por | 2020-01-07T14:20:37+00:00 Janeiro 6th, 2020|Marketing, Nuno Seleiro|0 Comments

Deixe o seu comentário

Contacte-nos!